segunda-feira, 21 de julho de 2008

Vestido vermelho

Rasgaste o meu vestido vermelho...
Rasgaste-o!
Caída nas escadas,
Na lama, na estrada, no chão...
Vejo-te ir embora
Na indiferença dos corações de pedra.
Estou perdida
Na escura humilhação,
Na mais profunda dor,
Algures num beco sem nome
Envolta em retalhos vermelhos!

Por favor!
Por favor!...
Tenho frio e estou perdida!
O meu amor de ontem
Deixou-me caída nas escadas,
Sem explicação nenhuma
E com um vestido rasgado!

2 comentários:

Janis disse...

São trapos vermelhos o que tens vestido por fora...e por dentro? qual é a tua cor? levanta-te..procura o refúgio...a tua casa protegida, antes que te transformes em estátua de pedra na rua sem nome...

ola...tens pouco para ver, mas deixas vontade de ver mais..por isso, só pode ser bom..gosto das tuas palavras. e do teu à-vontade de te exprimires sem rodeios a mais.

espero por mais poemas:P
beijinho*

clepsidra disse...

O meu medo é converter-me nessa estátua de pedra.
Por dentro sinto-me uma explosão de cores, numa transição camaleónica de sentimentos e estados de espírito.
Rasga-se o vestido mas nunca a alma. Continuarei a escrever...