sábado, 31 de outubro de 2009

Regresso

Das cinzas sempre renasce qualquer coisa:
Primeiro breve faísca
Depois labareda faminta de ar
Um dia, quem sabe, um incêndio.

Quem não pode escapar às palavras sempre regressa.

Quem vive e se apaixona pela vida deve escrevê-lo ao mundo!


4 comentários:

ツ Tiko ツ disse...

Tal como uma Fenix, renascemos das cinzas teal como uma pomba voamos em paz, tal como um ser humano, voltamos a colocar os pés no chão..

Bjinho e parabens pelo Blog

Aléxia Monteiro disse...

muito bom seu blog.
irei sgui-la
gosteei desse poema
abaçoos

Razek Seravhat disse...

Seus versos são perigosos, deslizam por nossos dedos, mas eu gostei.

Ternrua sempre!

Se quiser me encontrar é só seguir o voo da esperança...

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^